O poder de conectar pessoas

“Não basta ter uma equipe de grandes talentos altamente motivados. Se ela não estiver bem informada, se seus integrantes não se comunicarem adequadamente, não será possível potencializar a força humana da empresa. “(ALBERTO RUGGIERO, 2002)

Atualmente, sabemos que a comunicação é indispensável para o indivíduo inserir-se e compartilhar significados com o mundo. É através desse processo que se torna possível expressar emoções, expor valores pessoais e sociais, perpetuar a cultura de um grupo, propiciar a interação entre seu membros, entre outros.

Quando abordamos o ambiente organizacional, os processos de comunicação surgem como meios de difundir a cultura da empresa, expor normas e diretrizes que devem ser adotadas por seus colaboradores e, ainda,  divulgar e motivá-los a alcançar objetivos e metas.

É importante ressaltar que uma comunicação interna eficiente na organização é aquela que conecta, aproxima, informa e motiva as pessoas. Quando a comunicação mostra-se superficial e autoritária, apenas exigindo atitudes e comportamentos, sem gerar compreensão e empatia no receptor, ela não atinge seu objetivo. O indivíduo a quem se destina a ideia vai atrelá-la às suas percepções, emoções e motivações, dessa forma o gestor deve ter conhecimento absoluto sobre o público a quem a informação será  oferecida. Alcançar sucesso nesse processo significa ter colaboradores mais engajados, criativos e flexíveis.

O avanço tecnológico com seus diversos canais vem imprimindo eficácia ao processo de se comunicar nas instituições, proporcionando agilidade na distribuição da informação, disponibilizando grande número de informações, bem como acesso amplo e imediato a esse conteúdo.

Todos esses benefícios, aliados a significados bem planejados, claros e confiáveis,  além de conectar os colaboradores entre si e com a cultura da instituição, cria um ambiente dinâmico e harmônico, que propicia o engajamento de cada um no sucesso do grupo e, consequentemente,  aumenta a produtividade.

A comunicação interna  eficaz aliada a tecnologia deve ser vista como uma vasta oportunidade para se estabelecer vínculos de confiança e aceitação do público interno e de parceiros para com a organização, otimizando a produção e a rentabilidade da mesma.

Maria Helena Antunes Barbosa | Psicóloga – CRP 05/46498

Referências

RUGGIERO, Alberto Pirró. Qualidade da comunicação interna. 08 out. 2002. Disponível em: http://www.rh.com.br.

ZANELLI, José Carlos. ANDRADE, Jairo. BASTOS, Antônio. Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Artmed, 2014.

GOULART, Iris Barbosa. SAMPAIO, Jader dos Reis. Psicologia do trabalho e gestão de recursos humanos: estudos contemporâneos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.

Leitura recomendada

Categorias